PROJEÇÕES ASTRAIS

[O PODER DA VIDA – MAKTUB]

Mal sei por onde começar mais um relato do meu trabalho interior no templo de Shekinah. Estou com tantas coisas na cabeça e na alma ainda que mal consigo expressar em palavras meu sentimento hoje. Mas vou tentar aqui relatar alguns dos quase inexplicáveis insights que me assaltaram na última tarde/noite.

O trabalho em si foi bem diferente. Outra vibração. Eu cheguei também em uma sintonia diferenciada, relaxada, tranqüila, deixando os problemas do dia-a-dia para trás, em são Paulo mesmo. Aliás, que quinta-feira pra cá, eu estou nessa vibração boa (estive no show do Queen e foi emocionante). Dessa vez, ao invés de bailados e hinos de poder, tivemos uma meditação forte e silenciosa, com auxílio de música, durante mais ou menos uns 15 minutos; depois ainda fizemos uma outra meditação em silêncio absoluto, sem música. Já durante a meditação, eu senti totalmente a natureza do lugar, me coloquei em contato com o meio ambiente através da minha meditação. Eu estava completamente alheia a quaisquer outras sensações. A conexão foi com a vida, não comigo mesma. De certa forma, também comigo mesma, mas muito mais com o resto do universo.

[VIDA, UM MISTÉRIO]


Dessa vez, parte da minha sensação de conexão com a natureza vem de grande parte do meu entendimento (finalmente) da chamada ÁRVORE DA VIDA. Pude afinal, enxergar o sentido de tudo isso. O motivo pelo qual um caminho se junta ao outro, como as Sephiroth dependem uma da outra, aliás, como eu mesma dependo do caminho correto para me conectar com o divino.

Árvore da Vida.

Creio eu que, durante esse trabalho, pude visualizar melhor qual trilha devo percorrer para entrar em sintonia com cada Sephira e me pus em contato com Kether, a primeira delas. Kether: o contato além do humano. Entendi, em certo ponto do meu primeiro insight, que eu estava ali entrando em contato com as energias da natureza. Após alguns momentos meditando na parte interna do templo, resolvi me sentar na grana, do lado de fora, e observar a natureza ao meu redor. Meus ouvidos se abriram de uma maneira que jamais poderei compreender. Pude ouvir todos os sons à minha volta: grilos, cigarras, sapos coaxando, pássaros cantando, o vento, o movimento das nuvens, a grama se movendo... Foi um dos momentos mais mágicos que vivi até hoje, para ser muito honesta.

Centrei meu olhar no céu por longos minutos. Acho que por uma hora, na verdade... Ou menos, ou mais, não sei ao certo; uma das coisas que não encontrei nesse trabalho foi a noção de tempo. Estava apenas ali, naquele espaço, vivendo o aqui/agora e deixando o resto para depois. Ao olhar o céu ao fundo, notei um clarão entre as nuvens... Me deixei levar... E a observar tudo o que esse azul infinito tinha para me oferecer. Refleti sobre o tamanho que o ser humano tem perto do resto das coisas dentro do universo. Meditei sobre a nossa soberba e “grandiosidade”, sobre como nós nos esquecemos facilmente de que, ao final, não passamos de pequenos grãos de areia. Na minha cabeça, que estava fervilhando de idéias de uma pessoa uma ou duas noites antes, me veio a idéia de micro e macro. Em relação a outros seres neste planeta, somos todos grandes, imensos, somos capazes de esmagar um pequeno inseto com as pontas dos dedos. No entanto, entrando nesse jogo de megalomania, percebi como o universo em si é megalomaníaco também. Quando mais eu parei para pensar no meu tamanho em relação ao universo, mais eu me senti pequena. Mas não é ser pequena puxando para o pejorativo. É simplesmente me colocar no meu lugar no universo e aceitar com humildade que meu poder é pífio se eu pensar que várias outras coisas ou seres podem um dia me esmagar “com a ponta dos dedos” também. Todos esses pensamentos me mostraram que, para que eu possa vestir minha coroa com honra e dignidade, eu preciso de muito trabalho interno antes. Eu estou longe da coroa. Todos nós estamos. Mas o primeiro passo para o entendimento de Kether foi dado e a reflexão foi profundamente esclarecedora.

Ainda um pouco perdida dentro desse raciocínio todo, eu de repente me vi em uma espécie de bolha energética. Ou melhor, de um cubo energético. Senti que ele foi ficando apertado e eu fui me encaixando nele conforme foi possível. O cubo energético possuía flores no chão e uma grama bem rente ao chão. Fui elevada aos céus e dei um lindo passeio ao redor do mundo, da natureza. Vi uma porção de bichos, plantas, rios, lagos... Os oceanos, que lindos! Mergulhei no fundo do mar para conferir de perto toda a diversidade de espécies do nosso planeta. Num repente, senti o ar que eu estava respirando de maneira diferente. Senti na verdade, que eu era parte dessa natureza.

E me vi dentro do cubo, “brotando”, a partir de uma semente. Senti a chuva, os ventos, as pragas, e senti o meu fortalecimento conforme eu ia florescendo dentro do meu cubo energético. Vi vários momentos da minha vida que foram importantes: minha mãe, meu avô e minha avó, meu pai e irmãos... O primeiro beijo, o primeiro amor, o colégio técnico, a faculdade, meus projetos que foram bem-sucedidos. Muita coisa realmente passou diante de mim. Quando me vi novamente, eu era um botão de rosa vermelha. Sentia meus espinhos representando minha defesa frente aos acontecimentos que já vivi e que foram mal-sucedidos. Por outro lado, fui capaz de sentir meu perfume, minha cor vibrante e me abri.

Quando abri os olhos de novo, estava em lágrimas de alegria e notei que já tinha escurecido. Kether, meu caminho começa aqui.

[CONFUSÃO DE SENTIMENTOS]

Minha segunda parte do trabalho foi um pouco confusa, ainda estou tentando entender o que aconteceu. Eu não pude parar quieta! Andei por todos os lados do templo, fui lá fora, me sentei, levantei, era difícil controlar a força que eu estava sentindo. Agora estou entendendo que era uma força. Uma força que me mostrava a minha beleza de caráter. Quem ler isso pode até achar prepotente ou soberbo da minha parte, mas sinceramente, não vou nem me preocupar com isso. Mas me percebi como um ser humano de bem, positivo, imaginativo, romântico, sentimental, preocupado. Em determinado momento, essa força ficou tão forte que precisei me deitar para conter tudo o que estava sentindo: um misto de êxtase por estar viva com uma ansiedade por viver ainda mais, uma pressa de evoluir misturada com uma serenidade em relação aos problemas que venho enfrentando. Senti mãos me amparando a cabeça. E senti uma vibração absurda percorrer cada poro do meu corpo. Meu coração não estava disparado, mas eu o ouvia bater. Senti cada órgão do meu corpo. Tive uma das minhas já manjadas crises de riso. É um riso incontido, uma gargalhada por estar viva, feliz, saudável, com amigos, com juventude, disposição para enfrentar os obstáculos que se colocam antes de alcançar meus objetivos. Vi em minha frente uma série de estradas. Me vi caminhando em várias delas. Caminhos um pouco sinuosos; mas em seguida, pude enxergar que a estrada na qual eu estou caminhando é iluminada. Ainda dentro da história de Kether, acabei me vendo numa representação literal do seu significado: em um trono, com uma coroa e uma rosa vermelha na mão, como o botão que eu fui no início do trabalho.neste momento, um insight importante veio na minha mente: eu sou a única capaz de me coroar, mais ninguém. Eu sou rainha da minha vida, mas ao mesmo tempo, o destino está lá, num cantinho, escrevendo alguns acontecimentos, que, independente do meu livre-arbítrio, eu vou vivenciar. MAKTUB – está escrito.

Entre outras coisas que senti nesse trabalho, uma das mais positivas foi a “subida” do trabalho nos chakras. Finalmente caminhei para o meu chakra do Hara. Acho que foi por isso que senti tanta força.

Quando eu tiver mais dos meus insights esclarecidos, eu volto a postar. Foi muita coisa ao mesmo tempo. Mas a energia e a luz desse trabalho ficaram já marcadas e mim.

domingo às 07:13 , 0 Comments | {+} Link do Post

HORÓSCOPO DAS ÁRVORES

Retirado de um tópico no fórum Bruxaria.net, outra pequena vertente do meu bodinho.

ÁRVORE DE AVELÃ (O Extraordinário)
É uma pessoa encantadora, não pede nada, muito compreensiva, sabe como impressionar as pessoas, é uma pessoa segura, mente aberta, positivista, ativa na luta por causas sociais, popular, temperamental e amante caprichoso, sensual e excessivamente apaixonado, belo, sensível, honesto e companheiro tolerante, com um sentido de justiça muito preciso.

terça-feira às 03:45 , 0 Comments | {+} Link do Post

SE O CAMINHO É ESCURO...

Ilumino-o com meu sorriso.
blog it

segunda-feira às 02:28 , 0 Comments

PERFIL

Pois é... essa aí da foto sou eu. Cada dia mais aprimorada, aprendendo aos poucos todas as "manhas" dessa vida.

Descobrindo como viver bem com pouco, como viver mal com muito, como ser capaz de ter uma paciência que não é minha (e, ultimamente, nem eu acredito no tamanho da minha paciência), como entender as pessoas sem querer socá-las...

Aprendi truques, como contar de 1 até 100, de trás pra frente, para não me irritar com os outros.

Me torno intolerante na mesma proporção da minha doçura.

E aprendi a usar quem me usa, na mesma moeda. Ser boba? Nah... chega né?

Conheço um monte de gente, gosto de muitas pessoas, adoro poucas, amo umas... cinco? Talvez seis.

Mas ainda me importo demais com gente que não merece, ou que não se importa comigo. Tudo bem, vivendo e aprendendo...

Tomando nota dos chutes, pontapés e "coices de mula" que tomo diariamente. Perdoar sim, esquecer, jamais.

Vivendo minha vida, levando tudo, como já me disseram, "em banho maria"... é, porque se eu levar a ferro e fogo, muita gente vai ganhar um brand meu.

Minha fúria externa tem a mesma medida da minha paz interior. Controversa? Talvez, poucos realmente me conhecem.

A minha alma, eu não abro pra todo mundo, já a minha vida... um livro escancarado.

Ainda na lição número 1 de "amar e considerar todos igualmente". Andei faltando nessa aula da vida, e preciso retroceder (ou progredir) para ser um ser humano melhor. Se bem que, quando eu faço minhas distinções, ao menos durmo tranquila sabendo que disse o que tinha pra dizer e feito o que tinha que fazer.

Parando de dar conselhos para quem não os ouve. Gastar o latim com quem dá de ombros é o fim da picada pra mim, atualmente.

Insisto e não insisto.

Sou paradoxal, mas você provavelmente gosta de mim, ao menos um pouquinho.

Porque, apesar de ser ferida inúmeras vezes, dificilmente eu gosto de ferir, então a esmagadora maioria dos seres humanos que convivem comigo jamais foi agredida pela minha pessoa.

Seja legal comigo que eu sou legal com você. Difícil conviver com alguém assim? Não né?

Então não vejo porque não tentar. Ao menos TENTAR.

O que é meu, tá guardado. E eu estou tirando do armário, aos pouquinhos.

às 02:10 , 0 Comments | {+} Link do Post

ACREDITAR

Eu já vi muita gente se dar bem na vida de um modo geral simplesmente porque acredita que vai atingir seus objetivos. Durante meus anos de prática na Grande arte, a Deusa me ensinou esse caminho também. Eu acredito que meus sonhos estão prestes a serem realizados. E rogo à Grande Mãe por isso.

quarta-feira às 21:50 , 0 Comments | {+} Link do Post

SIG. 18/11/08


GARDENSPLYT
BJUQFHOMIC

Data: 11/08/08
Método: SLib.
Processo durante a madrugada de 18 de novembro, com a música Tara Shakti Mantra, de Oliver Shanti & Friends.
Ainda sem resultado.

terça-feira às 16:02 , 0 Comments | {+} Link do Post

HORÓSCOPO CHINÊS

Por fim, o horóscopo chinês... assim eu encerro essa rodada astrológica e todo mundo fica conhecendo um pouco da minha personalidade dentro de cada egrégora.

O CÃO - GOU
Extremamente criativo, o nativo do Cão se realiza por meio da arte, atingindo cedo ou tarde a fama e o reconhecimento e buscando o belo e a harmonia nas pessoas. Possui uma facilidade enorme de conquistar as pessoas e de seduzir o sexo oposto, estando sempre à procura de uma grande paixão. No amor, é fiel e dedicado, embora um tanto desconfiado. Quando se apega demasiado a uma pessoa, caba criando uma dependência quase mórbida, que o torna ciumento e possessivo, incapaz de ver os aspectos positivos da relação. O medo de ser desprezado ou abandonado o aterroriza.

Espalha otimismo, mantendo sempre em evidência sua popularidade. Hospitaleiro e cordial, sabe receber como ninguém, preocupando-se com o bem estar dos convidados. Sabe pesar muito bem os prós e os contras, antes de chegar a uma conclusão ou de tomar um partido.

VIRTUDES: senso e habilidade artísticas altamente desenvolvidos, apreço pela justiça, além de um espírito pacífico e ordeiro, respeitador das leis

DEFEITOS: são freqüentes as crises de pessimismo e de nervos, pela própria natureza do signo, além de depressão e impotência diante das próprias ambições

SAÚDE: sistema nervoso e as extremidades dos membros inferiores

às 15:18 , 0 Comments | {+} Link do Post

HORÓSCOPO CIGANO

Mais uma vertente do meu "bode"... dentro do Horóscopo Cigano.

O PUNHAL
Signo Zodiacal: Áries
Metal regente: Ferro
Perfume: Lavanda
Dia da Sorte: Terça-feira
Pedra: Jaspe Verde
Cor: Vermelho

SIMBOLOGIA - O Punhal é a imagem da luta e vontade de vencer. Representa honra, vitória e êxitos. Os ciganos também usavam o punhal para abrir matas, sendo então, símbolo de superação e pioneirismo. A pessoa sob esta influência é uma pessoa irrequieta, firme e dona de si mesma. Ousada, tem uma personalidade forte e odeia ser subestimada. Quando isso ocorre, torna-se agressiva. Ama demais, é fiel e adora sexo. Não é econômica, mas sabe controlar o dinheiro. Se sai bem em esportes, artes marciais e cargos de chefia e liderança.

CIGANO PROTETOR - Wladimir do Oriente

às 15:08 , 0 Comments | {+} Link do Post

HORÓSCOPO EGÍPCIO

Continuando na onda da astrologia, segue mais um horóscopo correspondente ao meu signo, dentro do Horóscopo Egípcio.

Sekmet - A Deusa Leoa
Signo ocidental correspondente: Peixes e Áries
Período: 16 de março a 15 de abril

São líderes natos, otimistas, idealistas e persistentes. Têm vitalidade, força de caráter. Mente ágil, tendência a agressividade, mas sabem controlar-se.

Estes nativos são magnéticos, atraindo com facilidades amigos e amores. Podem exercer qualquer cargo de chefia e profissões esportistas. Têm espírito competitivo. Apaixonam-se com facilidade. Adoram ser acariciados na nuca e na cabeça. As mulheres são práticas, sinceras e sujeitas a crises de ira, que passam rapidamente.

Os homens são atraentes, o temperamento aventureiro e, em alguns nativos, a infidelidade é uma constante.

Na saúde, costumam sofrer dores de cabeça, seu aparelho digestivo é delicado, bem como o aparelho respiratório, sendo sujeitos a asma, enfisema pulmonar e bronquite.

Na infância, são crianças arteiras, alegres e indóceis. Têm uma intuição maravilhosa. Não gostam de receber ordens, entrando em conflitos com os pais.

Dia da semana: Terça-feira
Números: 1 e 5
Cor: vermelho
Flor: violeta
Metal: ferro
Perfume: alfazema

às 15:05 , 0 Comments | {+} Link do Post

HORÓSCOPO XAMÂNICO

Como estou nessa tradição e tive uma conversa hj que me lembrou disso... aí vai o meu horóscopo xamânico:

FALCÃO VERMELHO
De 21/03 a 20/04 - A Lua das Árvores em botão
O Falcão é um mensageiro dos insights. Adaptáveis e abertas, as pessoas Falcão gostam de liderar, e podem ser impulsivas de vez em quando. Querem estabelecer a individualidade ao mesmo tempo em que são aceitos pelo grupo. O Falcão é ativo, esforçado e impetuoso. Possui uma grande iniciativa, mas pode tomar decisões precipitadas, das quais logo se arrepende. Com muita vivacidade, o Falcão sabe ser extrovertido e audaz. Entusiasma-se com as novas experiências, mas tem dificuldade para perseverar nas tarefas. É pioneiro, aventureiro e afável. Sua missão na vida é guiar os outros. No amor, é rápido, fogoso, e muito apaixonado. Acende-se com facilidade e quer conseguir o que deseja a todo o custo.

Deve cultivar: Paciência, persistência, compaixão.
Deve evitar: Vaidade, orgulho e intolerância.
Planta: Dente-de-leão
Mineral: Opala
Cor: Verde amarelado
Direção: Nordeste
Medicina do Falcão: O poder da observação penetrante e da capacidade de agir com decisão e energia.

às 02:38 , 0 Comments | {+} Link do Post

O QUE É DEUS?

Esse é um desabafo... intencionalmente feito para uma pessoa, a quem eu quero muito ajudar, mas não sei como. É um desabafo de muitos pagãos... É um desabafo contra a tirania, a intolerância, o preconceito, o ódio entre as religiões...

É um desabafo. Leia se puder.

Eu me pergunto às vezes: o que é Deus?

Muitas pessoas sabem essa resposta, está sempre na ponta da língua. Deus é aquele que vai me salvar das trevas; é aquele que resolve meus problemas; é para quem eu peço ou imploro de joelhos por ajuda quando estou em dificuldade; é a quem eu “temo”, pois no dia do Juízo Final, ele fará o meu julgamento... Pessoalmente. E todas as minhas ações, durante uma vida inteira, serão responsáveis por me mandar aos portões do paraíso ou às trevas do inferno. Eu sempre ouço duas coisas muito distintas: “Deus é bom” e “Deus castiga”.

Eu também me pergunto muito: será que o meu Deus é o único que deve ser aceito?

O mundo inteiro possui religiões diversas. Cada qual adora uma força específica, mística, a qual se teme, e que se parece muito com o meu Deus. Aliás, estranho, é IGUAL ao meu Deus! Com a diferença que o deus de um chama-se Jeová, de outro, chama-se Budah, de um terceiro, chama-se Olorum, mais um, só que chama-se Adonai, ou Thel, ou então Rá... Não são todos eles a mesma força do universo? São sim.

Por que então, o único Deus a ser aceito, é aquele que abriu o mar para que Moisés passasse com os escravos e os levasse à terra prometida? Qual a diferença entre esse Deus e o meu Deus? Eu respondo: nenhuma.

Qual a diferença entre eu acreditar nos dez mandamentos e acreditar nas leis máximas de tríplice retorno ou nas leis máximas da Grande Mãe? Deus não pode ser mulher? Eu preciso de uma explicação para a existência das coisas? Eu não posso respeitar a natureza ao invés de respeitar um Cristo? Pois, se Cristo morreu na cruz para nos salvar, o que faz a Mãe Natureza, durante todos os dias de sua existência nesse planeta senão morrer aos poucos para que nós possamos ser felizes com nossa mente brilhante e nossa tecnologia que só a destrói?

Acaso Deus pode permitir tamanha crueldade com uma de suas mais lindas criações?

E o que já se fez em nome desse Deus ao longo da história? É certo tirar dos índios suas crenças “primatas” em Tupã? Eles não eram felizes assim? Eles faziam algum mal acreditando no meu Deus, mas chamando-o de Tupã?

E os massacres, as cruzadas, “em nome de Deus”? Que mataram dezenas de mulheres inocentes e crianças, que dançavam em torno de fogueiras e usavam suas plantas para cura, cantavam em louvor à natureza... As tão temidas bruxas... Justifica-se o derramamento de sangue por elas acreditarem em um Deus, o MEU DEUS, que é feminino? É certo enforcar quem chama o meu Deus de Diana, de Écate, de Afrodite?

Um dos primeiros ensinamentos de Deus é “ame ao próximo como a ti mesmo”. Pois, amar não significa respeitar o meu próximo? E como eu posso amar o meu próximo se eu não respeito sua crença? Que Deus é esse, que aceita somente uma forma? É um Deus dominador ao invés de benevolente? É um Deus que corta cabeças, que coloca aviões em rotas de prédios para justificar uma guerra? O muçulmano é menos ser humano do que eu porque o nome do Deus dele é diferente do meu? E o judeu, que não aceita Cristo, mas sim Moisés como seu messias e salvador? Também deveria ele ser subjugado e morto? Ou condenado?

Eu não sei mais o que Deus é. Mas eu sei o que ele não é.

Ele não é autoritário. Ele não me mataria porque eu o chamo de Diana. Ele não me condena porque eu respeito e saúdo a Mãe Natureza, que Ele criou. Ele não me pede dinheiro. Ele não me manda sacrificar vidas em Seu nome. E, se eu converso com ele olhando para a Lua, ele não me castiga.

Durante muitos anos, práticas como a bruxaria, foram condenadas porque aqueles que a condenaram plantaram idéias na cabeça dos homens, dizendo que as bruxas adoram o demônio e sacrificam animais! Uma bruxa, ou um bruxo JAMAIS faria isso.

A bruxa se pauta por dois grandes mandamentos: “não faça com o próximo o que não gostaria que fizessem com você” e “tudo o que é feito, bem ou mal, volta três vezes para você”. A bruxa, portanto, é temerária a uma força superior. A bruxa canta e dança, escreve suas próprias orações à Grande Mãe. A bruxa purifica seu ambiente acendendo um incenso. Protege sua casa do mal com encantamentos. A bruxa dança em reverência à natureza e medita sobre o significado da vida. A bruxa sorri e tem o coração grande e bondoso. A bruxa não rouba, não mata animais ou pessoas, não DESRESPEITA as crenças dos outros.

Um pagão, ou um não-cristão, nada mais é do que um adorador de Deus, só que com outro nome.

O que faz a minha religião ser a única a ser aceita? Não é assim! Se assim fosse, Deus não teria dado à Terra uma série de povos e culturas diferentes, teria criado apenas uma raça, não permitiria que o ser humano se espalhasse da forma como se espalhou. Significa que ele é a força que une a todos nós, sob diferentes nomes, com diferentes rituais. Mas a lembrança e a fé, é exatamente a mesma.

Então, eu peço: respeite a minha religião como eu respeito a sua. Aceite minha religião como eu aceito a sua. Do contrário, só me resta pensar que, assim como os soldados das cruzadas, você não respeita e nem ama ao seu próximo, e está traindo os ensinamentos do SEU DEUS, do MEU DEUS. Do NOSSO DEUS.

segunda-feira às 21:53 , 0 Comments | {+} Link do Post

A LUZ, A LUA, A LUVA...

Sol em Escorpião, Lua Cheia.

As coisas estão acontecendo. A vida etá mudando. O poder está aumentando, em proporções que eu não sou capaz de compreender muito bem, mas sou perfeitamente capaz de sentir e de controlá-lo. O poder de fazer o bem, de melhorar a vida daqueles que verdadeiramente amo e estão guardados em meu coração. O poder de conversar com o universo através da meditação, de prever ocasiões e acontecimentos. Poder divinatório, talvez...

Poder construído com bases no amor incondicional pelos seres desta terra, desta galáxia, deste universo... Quando mais eu amo a vida, mais ela me ama de volta! E a sensação é ótima!!! Aliás, é maravilhosa, chega a ser quase orgásmica. Isso junta com meu chackra-raiz trabalhando cada dia mais, em uma força e uma sintonia que realmente tem melhorado minha segurança em relação a falar o que eu penso e demonstrar o que eu sinto sem me importar com a reprovação alheia.

Acho que já estive mais sensível à reprovação alheia. Hoje, de uma semana pra cá, não sei... mas penso que esse medo e essa insegurança de expressão livre do meu pensamento simplesmente passou. Por que eu deveria, por exemplo, envergonhar-me da prática e do caminho que eu escolhi há 13 anos? Por que eu deveria sentir-me diminuída com quem balança a cabeça e baixa os olhos em sinal de reprovação dos meus sentimentos em relação ao mundo e das minhas crenças? Mas notei que cada vez tenho mais segurança. O chackra está ficando novamente equilibrado, o que de certa maneira é um alívio... por outro lado... tá me deixando louca... SOCORROOOO, HEEEELP! Trabalhar esse chackra em específico, é uma bênção e, ao mesmo tempo, um sofrimento "de pele". Credo, preciso liberar essa "tensão" toda armazenada, com urgência... será que passo pro plexo solar antes de explodir? Hahahahahaha...

Outra coisa que me deixa perplexa e, ao mesmo tempo, com um sentimento de que minha missão está se cumprindo dentro da Grande Arte. As pessoas que têm confiado suas vidas mágicas às minhas orientações, aos meus conselhos. Como eu fui parar nisso? o quê essas pessoas enxergam em mim para que eu seja tão bem quista por eles? Por que sou tão querida assim por essas pessoas? O que essas pessoas me escrevem ou me falam, me marcam muito. Como essas mensagens abaixo... como eu posso interpretar tudo isso? Ainda estou tentando compreender, mas já aceitei há algum tempo que eu possa realmente ter uma missão dentro da vida mágica.
"Eu me apaixonei por você *-* ... Com todo o respeito... Olhei para você e já imaginei você ao ar livre... *-* Acho que se eu pudesse atribuir um planeta para você, atribuiria Vênus."

"Tu serás meu exemplo de pagã... Vou me basear em ti".

"Sua energia é muito boa, e todo mundo nota isso de longe... Você deve trabalhar com os seres mais elevados."

"Eu queria ter a honra de ser apresentado e conviver com eles, com você me iniciando. Vou saber que estou no caminho certo, porque fui iniciado por uma pessoa muito boa".

"Admiro as pessoas como você, que amam, que fixam seu olhar...no horizonte, esperando ver o seu amado, ou amada..."

"Quem sabe seja esse o "sacrifíco" que passam as pessoas de bom coração, como você... Pois tens uma ternura e uma força, de uma deusa.
Dance com essa força".

"Penso que pode se considerar uma pessoa feliz... Pois você tem luzes especiais... Sinta-se feliz por isto."
Como as pessoas enxergam minha energia dessa forma? Eu gostaria de ver a minha energia como os outros a vêem. E gostaria de entender melho esse processo todo: como que pessoas enxergam tanto em mim e outras simplesmente não enxergam nada? Ou se enxergam, por quê fogem de mim?

Medo... como o ser humano tem medo de perder a própria identidade próximo de outro ser humano, que, apesar de ser tão igual, tem lá suas diferenças no modo de pensar, de agir, de sentir... eu mesma tinha pavor de algumas pessoas que eu conhecia, por medo de "me anular" estando perto delas. Pelo contrário! Depois de perder o medo, eu só descobri que brilhei mais ainda estando ao lado de quem tem boas energias e boas intenções para me oferecer. eu me preencho de amor do universo. E desejo amor para todos. Pra mim também, é claro... afinal, quem não quer um amor para si? Quando digo isso, me lembro de uma passagem, que está em inglês, mas que eu vou traduzir para ser melhor compreendida:

"Ás vezes sinto como se existisse um buraco dentro de mim, um vazio que algumas vezes parece queimar. Acho que, se você mudesse colocar meu coração próximo de seu ouvido, você poderia provavelmente ouvir o oceano.

Eu tenho esse sonho de ser completa. De não ir dormir, noite após noite, querendo o amor. Mas ainda hoje, e ás vezes, quando o vento sopra quente e os grilos cantam... Eu sonho com um amor que faça até mesmo o tempo parar para nós. Eu só quero alguém para me amar. Quero ser vista.

Eu não sei, talvez já tenha tido minha felicidade... Eu não quero acreditar nisso mas, não existe um homem, minha irmã... Apenas aquela Lua".

Eu espero pela minha redenção. Sem pressa. Ela vai passar por mim. Vai parar em minha frente, me fará levantar minhas mãos para os céus e me dira: "está livre".

Tudo pode parecer muito metafórico, mas a verdade é uma só: os dias ficaram muito mais fáceis de serem vividos, com a mágica ao meu redor, meus deuses me protegendo e minha Roda do Ano completa. Então, estou pronta para as emoções mais fortes da paixão, do amor e do desejo. Não só por alguém... mas e PRINCIPALMENTE pela vida também!

Lua Cheia... força triplicada!!!

"He will hear my call a mile away.
He will whistle my favorite song.
He can ride a pony backwards.
He can flip pancakes in the air.
He'll be marvelously kind.

And his favorite shape will be a star.
And he'll have one green eye and one blue...
The guy I dreamed of doesn't exist.
And if he doesn't exist, I'll never die of a broken heart."

às 03:44 , 0 Comments | {+} Link do Post

SONHO...

Muitas vezes tenho acordado com o mesmo sonho rondando os meus pensamentos e o meu coração. Todas as noites, ao dormir, após minhas orações, me pego pensando sempre a mesma coisa... e, embalada pelo pensamento, que me leva longe, adormeço e acabo sonhando a mesma coisa. Noite após noite, o sonho apenas se fortalece, torna-se mais nítido, eu me lembro com maior facilidade.

E, quanto mais aumenta sua nitidez, mais eu sinto que ele está ficando próximo da realidade. Espero não estar enganada. Porque esse meu pensamento que me leva pode ser o grande acontecimento pelo qual eu venho pressentindo.

sábado às 22:51 , 0 Comments | {+} Link do Post

ORAÇÃO EM AGRADECIMENTO

O que a vida me ensinou
Assim ficou aprendido
E o que era problema
Ficou bem resolvido

Pelo poder de três vezes três
Deixo meu agradecimento
E peço que a lição que aprendi
Jamais caia em esquecimento

Deusa Mãe, obrigada por mais uma chance,
Agradeço a ti do fundo da alma,
Por minha sorte modificar,
Por tanto me amar e não me esquecer.

Que assim seja e assim será, para o bem de todos.

quinta-feira às 00:37 , 0 Comments | {+} Link do Post

TUDO PRA VOCÊ

E todas as músicas de amor que eu já fiz
Eu fiz... Pra você
E todos os filmes de amor que eu já vi passar
Passaram... Pra você.

É, você tá em todos os momentos que eu vivo
E que eu desejo.
É, você impregnou na minha carne, nos meus sonhos
E agora não tem volta
Eu preciso te viver.

E todas as flores que eu já vi desabrochar
Desabrocharam... Pra você
E todos os beijos mais apaixonados que eu guardei
Estão guardados... Pra você.

É, você tá em todos os momentos que eu vivo
E que eu desejo.
É, você impregnou na minha carne, nos meus sonhos
E agora não tem volta
Eu preciso te viver.

Contam nossa história
De tristezas e glórias
O poema mais bonito
Que eu já li...

É, você tá em todos os momentos que eu vivo
E que eu desejo.
É, você impregnou na minha carne, nos meus sonhos
E agora não tem volta
Eu preciso te viver.

E todas as músicas, os filmes, e as flores e os beijos...
Pra você!

domingo às 03:29 , 0 Comments | {+} Link do Post

SOHO - WHISPER TO SCREAM

O amor chega de mansinho
E flui como a água
Queimando a esperança da introspecção
Livros emplumados

Com as cores da exaltação brilhante
Roubados na visão do amor

Nós somos, nós somos, nós somos nós Somos apenas crianças
Encontrando nossa verdadeira forma

Através da indecisão
Nós somos, nós somos, nós somos
Um pouco insolúveis
Mudanças eternas
De um sussurro a um grito

Os pássaros voam
Aos olhos da filha do caminho
O que foi dito teve seu fim amargo
Desperdiçado
Sacrificado para um novo nirvana
A noite manda o sol para longe

sábado às 17:04 , 0 Comments | {+} Link do Post

SANGUE, SUOR E LÁGRIMAS

...Assim passei o primeiro domingo de Sol em Escorpião e Lua Nova.

“Viver o agora no amor e na luz”.

Foi com esse espírito, e algumas feridas necessitando de cura que fui para o Templo de Shekinah. A busca por uma série de respostas talvez fosse o que estivesse me ferindo tanto. Mas descobri muito mais do que isso nesse domingo de “dia dos mortos”. Na verdade, eu mal prestei atenção na data. Não lembrava que era Finados. E Kali, a irmã de Shiva, esteve presente.


Kali e Shiva.

Minha cabeça, meu coração, meu corpo e minha alma estavam ansiando em iniciar uma busca profunda, obscura. E realmente, foi o que aconteceu comigo. A minha semana não foi boa... Acho até que magoei algumas pessoas sem querer. Minha energia não andava boa.

A pergunta principal, aquela que não quer calar, era: “como eu posso ser tão boa e merecer que tudo na vida tenha um jeito de andar para trás?” No meu raciocínio, a gente só tem aquilo que a gente merece, nem mais, nem menos. Então, se estou enfrentando problemas e tendo que ultrapassar obstáculos, algum motivo tem, não pode ser “de graça”. Essa foi minha busca. Então eu quis ir ao fundo do poço, para voltar aceitando melhor as coisas e “acelerando” mais minhas conquistas.

Preparação com amor e alegria no coração e na alma.


[OS 4 ELEMENTOS]

O templo infelizmente ainda não estava pronto quando chegamos. Mas em meio à arrumação toda, e participar desse processo foi muito gratificante, fomos, Atena e eu, tirar uma fotografia de um cogumelo lindo. Eu pressenti uma coisa. Disse a ela que os quatro elementos estariam presentes naquele ritual. Terra, somos nós, fogo, pela nossa fogueira linda, ar, pelo vento forte e seríamos selados com uma chuva, representando água, ao final do ritual.





[SANGUE E SUOR]

Buscar nosso lado obscuro não é nada fácil. Eu mesma me assustei bastante com as minhas dimensões mais baixas. Enxergar tanta coisa de dentro do seu ser sem ficar apavorada foi realmente um grande desafio. Logo na primeira comunhão, eu me vi em um local vulcânico, queimando, pisando em lava... Na medida em que meus pés derretiam nessa lava, meu corpo sentia o vento quente e um cheiro insuportável de carne queimando, carne podre. O vento trazia pequenas pedras flamejantes, que criavam feridas... Conforme o vento ficava mais e mais forte, eu me desintegrava aos poucos, contorcendo a mente com gritos desesperados que vinham de dentro da alma. Sangue, muito sangue. “Vieste do pó e ao pó retornarás”. Mais adiante, quando meu espírito se desprendeu do corpo durante essa visão, ele foi levado novamente ao corpo reconstruído, dessa vez e um mar vermelho. Meus olhos ardiam muito. Nesse mar, eu podia enxergar claramente as mágoas e os rancores que por muito tempo estão guardados. Quanto mais eu nadava nesse mar, mais eu queria mergulhar... Cada mergulho representava uma lembrança que eu quero esquecer. De coisas horríveis que já me aconteceram e eu jamais comentaria aqui nesse diário. E, essas coisas horríveis me levavam a outras mais horríveis ainda. Até que eu cheguei na lembrança mais dolorida de todas. Ali eu revivi tudo de novo. As lágrimas eram incontidas de me ver novamente naquela situação, tão indefesa. E estar ali novamente foi assustador. E me ver de fora, passando por tudo aquilo novamente, sem poder me defender, foi extremamente doloroso. Compreendi que dali desencadeou-se uma maneira apaixonada de viver a minha vida. Tão apaixonada que eu me machuco. Porque eu não meço as conseqüências de cada coisa que estou determinada a viver. E percebi que foi dali também que saiu essa minha mania de querer ajudar todo mundo que está em crise. Mesmo que isso custe minha energia, meu coração partido, minha alma, minha proteção espiritual. A voz (que é a minha, sempre) me disse: “Você é a única que se fere. Claro, você já foi ferida inúmeras vezes, mas de uns tempos pra cá, você é a responsável por tudo isso estar acontecendo. Eu sou pura sedução, puro amor, inocente. Continue assim, só não seja inocente. Eu estou me machucando. Anteveja as prováveis conseqüências, avalie antes aqueles a quem eu quero ajudar e meça as energias de cada um antes de me entregar completamente a um evento ou situação por terceiros. Cuide de mim antes de cuidar de qualquer outro ser.”

Ainda imersa nesse mar, começamos um novo ritual e Kodoish estava no ar. A saudação aos antepassados. Eu ainda estava mergulhando, mas quando voltei à superfície do mar vermelho, esse mar transformou-se em um mar de arco-íris. Estava de frente para um portal lindo, com duas colunas brilhantes e unicórnios saíam cavalgando de lá. Eles se misturavam com outros animais aquáticos. Pude ver os golfinhos conversando com os unicórnios. Esse momento foi lindo. Abri os olhos.

Projeção do portal. Clique na imagem para ver maior.

Mas eu ainda estava buscando respostas. Dessa vez, resolvi não buscá-la do lado de dentro. Pedi a proteção da Deusa, e, ainda durante o Kodoish, perguntei sobre uma determinada situação que envolvia duas pessoas. Queria saber qual era o fim daquilo. Joguei a pergunta no ar, como que para um oráculo. E fui buscar a resposta. Na primeira imagem, essas pessoas apareciam num cenário de neve, gelado, porém lindo, pois uma esquentava a outra com o corpo, em uma linda pintura de carinho e cuidado. Por entender da situação, achei que aquela não poderia ser a resposta, já que, no plano civil, as coisas não andavam nada bem; pensei comigo: “acho que estou enganada, vou procurar mais um pouco”... O mar em que mergulhei dessa vez era de um azul profundo. Era um recife. E em meio a uma caverna de lindos corais brancos e cor-de-rosa, havia uma bolha gigante, com a figura dessas pessoas se entendendo mais uma vez. Elas estavam sentadas, olhando uma nos olhos da outra. E se admirando profundamente. Nesse momento, eu senti o corpo físico chacoalhar a cabeça em sinal de aprovação. Apertei mais os olhos e coloquei minhas mãos sobre o rosto. Caí em um túnel roxo e preto, que cintilava vez ou outra.

Esse túnel era uma descida, rápida, vertiginosa, eu senti tontura. Ao final da descida, eu estava em um local absolutamente cintilante, em tons de roxo. Um mar negro e roxo estava ao fundo, com peixes saltando. Senti uma imensa felicidade. A imagem dos dois seres congelou-se em uma cama de cetim, com ambos abraçados. Uma mulher estava grávida e nua. Não pude conter o choro copioso e físico. A cena toda foi incrivelmente linda.

Após esses momentos, voltei a abrir os olhos. Os insights desse ritual estavam vindo e indo com a rapidez de um raio. E seguiu-se uma seqüência de mantras lindos.

De repente senti o peso da naja negra em meu pescoço novamente. A voz me mandava dançar para me reverenciar. Era o mantra de Shiva. Saí do templo em busca da natureza lá fora, e dancei para saudar o meu Deus Shiva, que destrói o mal para construir o bem. Senti a grama nos meus pés. E o sol brilhava em minha cabeça. Abri os braços, formando um pentagrama. Ergui a cabeça e meu lenço cor-de-rosa balançava com o vento. O vento era forte. Muito forte. E a beleza da vida esquentou meu sangue.

Natureza em Shekinah.

A fogueira estava acesa do lado de fora. Saudei meu elemento pessoal e fiz uma prece silenciosa. Voltei ao interior do templo. Comunguei novamente e, ao tirar o tarot da reflexão dessa minha Shiva obscura, o arcano XV – O Diabo, foi a carta que me levaria a mais um estado de transe.

Tudo o que eu pude sentir foi intenso, grandioso, parecia que eu ia explodir em paixão e desejo pela vida, pelo mundo. A ambição adormecida despertou e meus olhos avermelharam-se. Suor. Muito suor. Vi-me em uma festa de casamento. A mesma do sonho de duas noites antes do ritual. Um homem me tirava para dançar. Esmeraldas. Ele me olhava nos olhos. Eu estava com um vestido vermelho, em cetim, os cabelos longos, a maquiagem pesada. Ele olhava. Só olhava, e com o pensamento, me chamava para dançar. Mas dancei só. Num salão que se esvaziava. Mais, e mais... A música não era um dos mantras do ritual. Era “Don’t Fear The Reaper”, em uma versão de Gus, só em violão e voz. Tirei os sapatos altos e comecei a correr em direção à porta. A música continuou me perseguindo. E, passando a porta do salão, entrei em um corredor, que ia clareando... Até chegar ao palácio de ouro e marfim de outra visão. Esmeraldas e rubis encontravam-se. O chão frio. O abraço com a essência foi completo. Muito amor. Paixão infinita.

[CURA]

Nesse ponto do ritual, a força era imensa. Anteriormente, havia perdido totalmente o fio da meada do meu trabalho pessoal, por conta de uma interrupção linda. Mas perdi o foco. E, naquela força gigante, o crescendo de emoções tomou conta de mim de uma maneira tão intensa que minha cabeça doeu, eu fiquei tonta e resolvi me deitar. Foi quando senti, novamente, o chakra raiz trabalhando, dessa vez em conjunto com o plexo solar. E no meu coronário, eu sentia entrar muitas energias. Boas. Abri as mãos e permiti que elas entrassem pelas palmas. Pelas pontas dos dedos. Deixei-me nos braços dos índios por algum tempo. Dessa vez, fui conduzida ao céu para receber minha cura, um céu laranja e roxo, e do meio de uma mandala forte, um portal de luz, mais unicórnios, dessa vez alados, saíam e vinham ao meu encontro.

Outros rituais de prosperidade aconteceram, e eu me perdi na leitura de uma das invocações porque encontrei uma frase ali que me prendeu. “Eu não sou pequeno, sou um ser grande de luz”. Minha crise de sábado tinha a ver com isso. Ao invés de continuar na invocação da prosperidade, me perdi nas palavras dessa frase. Lágrimas, muitas lágrimas. Todas as lágrimas do mundo por entender isso. Foi um recado dirigido especialmente a mim.

Momento inicial da invocação de prosperidade.


[HORROR]

Na última comunhão, eu voltei a ver minha desintegração. Voltei a ouvir as mesmas frases da voz. E vi outros seres que, um dia, também estiveram na mesma situação que eu. Vários seres, todos que eu não conhecia. Mortos, decompostos, cadavéricos, tristes. Atena me ajudou a atenuar a dor de tudo isso e a aflição das visões com suas pedras e cristais. Incrível que, após a colocação das pedras, por pior que fossem as visões (e eram muitas, de entranhas, pessoas explodindo, coisas horríveis mesmo), eu as via de maneira serena. Vi-me cortando os pulsos, me lacerando com uma lâmina. Mas mesmo assim, não me abati ou me aterrorizei.

Recebi os códigos arturianos.

Voltei a me deitar. Nesse momento, eu deixei a alma sair do corpo. Vi cidades, pessoas queridas, amigos e inimigos, todos me parabenizando. Havia atingido um novo grau de entendimento do “eu”. Ouvi palavras de ordem como “coragem”, “força”, “presença”, “vida”, “intenção”. E aí veio um monte de seres falar comigo. Eu não conseguia entender nada. Abri as mãos para receber algumas energias. Eram muitas, muitas vozes me falando coisas, essas palavras. Quando senti o corpo numa carga máxima de energia, outras vozes vieram me pedir para entregar mensagens, fazer favores... Eu não compreendi nenhuma mensagem, a não ser por uma bem clara, de que eu devia avisar a uma pessoa do plano civil de que ela está protegida, porém, que tomasse cuidado com o que estava lidando.

As vozes foram ficando intensas, mais altas, mais vozes ainda surgiram. A vontade era de gritar: “Parem de falar comigo!”

De repente essa torrente de vozes cessou. E ouvi o barulho da chuva lá fora. Era o último elemento, selando o trabalho daquele dia. Após o encerramento, confraternizamos do lado de fora, apreciando o pôr-do-sol e um portal que ficou aberto no meio do céu, enquanto as últimas gotas de chuva caiam dele.


Pôr-do-sol em Shekinah. O portal ao lado direito.

A lua nos saudando.

Obscuro. Forte. Lindo. Findou-se e eu saí mais forte. Eu posso sentir. Senti isso hoje. Muito.

Todas as fotos fui eu quem fez.

terça-feira às 04:18 , 1 Comment | {+} Link do Post

Roads...

Toda estrada nos conduz a algum lugar. Qual é a minha estrada? E em qual estrada você está? Para onde você quer ir?

Eu quero um rumo ao infinito! =]
clipped from funzu.com
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere
Every Road Leads u somewhere

blog it

domingo às 04:34 , 1 Comment

Road to Heaven

Foto tirada por John, do blog lifeproofbox.com.
clipped from lightproofbox.com
Road to heaven
blog it

às 04:32 , 0 Comments

DON'T CRY - SEAL

Não seja tão duro com você.
Essas lágrimas são para outra pessoa.
Eu ouço sua voz no telefone.
Eu lhe ouço sentir tão só.
Meu amor...

Quando nós éramos jovens,
E a verdade era suprema.
Nós crescemos,
E nós vivemos uma vida sem nenhuma dúvida.
Essas recordações,
Eles parecem tão antigas.

O que tudo aquilo se tornou?
Quando você sente como eu, quero que você saiba...
Que todos eles se foram.

Não chore, não só.
Não chore esta noite, meu amor.
Não chore, você sempre será amado.
Não chore esta noite, meu amor.

Hoje eu sonhei,
Com os amigos que eu tive antes.
E eu desejo saber por que.
Os que se preocupavam já não ligam mais.
Meus sentimentos me trazem dor.
Mas você sabe que eu supero a dor.
E eu sou mais forte agora,
Não pode haver um fogo a menos que haja uma chama.

Não chore, não só.
Não chore esta noite, meu amor.
Não chore, você sempre será amado.
Não chore esta noite, meu amor.

Limousines e sicofantas..
Não me deixe agora,
Porque eu tenho medo do que fazem a mim...
Há um lobo em minha cama...em minha mente!

Os desafios pelos quais passamos foram difícieis o bastante.
Eles são mais duros agora.
Até mesmo quando nós pensamos que nós tivemos o bastante.

Não sinta só,
Porque você é o que você entende.
Eu sou sua cura.
Leve um pedaço de mim sempre que você puder.

Não chore.... você não está só.
...não seja tão duro com você...

Não chore esta noite.... meu amor
...Essas lágrimas são para... outra pessoa

Não chore.... você sempre será amado
...Eu ouço sua voz no telefone...

Não chore esta noite... minha doce criança
...Eu o ouço temer... tão só.

Não chore... não chore... não chore...
Não o deixe chorar... meu amor
Choro... não chore...
Porque você continua sendo amado

Meu amor....
Você ainda será amado

às 04:02 , 0 Comments | {+} Link do Post

A VIDA DE SHIVA NAS MÃOS DO SOL

"Maktub" - Está escrito.

Fiz uma leitura para mim (o que dificilmente eu faço) do meu tarot egípcio.

Usando apenas arcanos maiores, para facilitar a minha compreensão. E talvez enxergar "the big picture"do que está acontecendo. Ou do que está para acontecer.

SITUAÇÃO PRESENTE
III - A Imperatriz (invertida): Este é um dos meus arcanos pessoais, que denominam minhas principais características (o outro arcano é o Hierofante). Por isso mesmo, fiquei um pouco decepcionada comigo mesma quando ele saiu invertido. Significa que minhas principais qualidades estão escondidas, que estou me isolando (e isso é um fato), que abandonei momentaneamente a Lei do Triângulo (poder, vontade, manifestação). Deixei minha inteligência e minha racionalidade de lado, bem como meus sentimentos e desejos primordiais. Preocupação excessiva com o desconhecido. É, a descrição bate em cheio com o que está acontecendo comigo.

AÇÃO NECESSÁRIA
XIV - A Temperança: Renascimento. Correção dos erros cometidos. Procurar as respostas dentro de mim, sem me isolar. Buscar o equilíbrio entre o racional e o emocional. Sábio conselho!

CONSEQUÊNCIA
XIX - O Sol: Obstáculos ultrapassados. União e realização dos desejos. Força interior, brilho próprio, caminhos limpos, claros, abertos. Retorno seguro à unidade material, afetiva e espiritual.

É sinal de que, independente da preomonição ou do que quer que aconteça, o resultado será benéfico pra mim, desde que eu mantenha establidade e equilíbrio quando acontecer.

Alívio. E como...

às 03:44 , 0 Comments | {+} Link do Post

LUTAR POR... OU LUTAR CONTRA?

Estou a pouco menos de três horas de "acordar" para minha atividade de domingo, mais um dia dedicado à meditação e ao entendimento do meu ser.

Mas estou evitando um conflito, de certa maneira "interno", de outra maneira, "universal", que está me deixando louca, e me fazendo acreditar já que estou realmente pirando.

De uns tempos para cá, o que eu mais tenho evitado de pensar é em um sentimento, uma espécie de premonição maluca que eu tive e não estou sabendo lidar com isso.

Sinto que uma coisa muito grande e muito importante vai mudar a minha vida (e a vida de algumas pessoas) radicalmente, em breve.

É isso. Simples? Nem um pouco.

Que coisa é essa que está para acontecer?! Por que é tão importante? O que é tão importante que vai acontecer, em breve, que será capaz de modificar a minha vida? Ou o curso da vida de algumas outras pessoas? É uma coisa boa? Ruim talvez? Uma morte, um nascimento?

Uma viagem longa, um grande amor, uma inspiração instantânea? O quê?

Isso me mantém noites a fio acordada, pensando.

É certo que tem várias coisas na minha vida pessoal que estão no modo "quase acontecendo". Minha mudança de apartamento, de casa, de bairro, sabe lá; enfim, minha saída do que eu atualmente chamo de "lar" está no modo "quase acontecendo".

Entre outras coisas, inúmeras, que estão nesse mesmo ritmo.

Algo me diz que não é isso ainda. É algo muito, muito maior... muito mais importante, de muita significância não só pra mim (a minha mudança afeteria, a princípio, apenas duas pessoas... as duas partes interessadas: a que quer que eu me mude, e eu), mas para pelo menos um círculo de seis a sete pessoas.

Essa tal premonição vem num crescendo que está me assustando. E me desfocando, me desconcentrando. E desconcertando também.

Tem me desconcentrado de tal maneira, que tem afetado minhas relações interpessoais. Tenho me isolado. MUITO. E quanto mais me isolo, mais eu fico "agressiva" com os meus próximos. Pessoas como minha família, que eu amo demais, amigos que eu estimo muito, seres humanos merecedores da minha cortesia e dos meus sorrisos, mas para quem eu não tenho sido capaz de ser e retribuir à altura.

Tenho chorado por muitas horas, sem motivo, chegando a soluçar.

Desesperada, pensando mil coisas. E se for algo ruim com alguém que eu amo muito? Isso me afeta diretamente também. Tenho procurado meditar pra acalmar os nervos, mas está complicado me concentrar.

Me concentrar não na meditação, mas em abstrair essa premonição, deixá-la esquecida, "de canto", para não me atrapalhar tanto. E isso tem me tirado o sono mesmo, porque já aconteceu isso uma vez, antes. E não foi bom. Está se misturando com os meus problemas pessoais do cotidiano, e eu estou pensando em tudo ao mesmo tempo. Não cabe aqui contar, mas a dica é simples: eu tenho um prazo esgotado.

Eu tenho muita fé de que seja algo maravilhoso e grande, importante, no sentido totalmente positivo.

Porque chega de coisa chata e ruim acontecendo comigo esse ano. Eu sei que superei muita coisa, aliás, SÓ EU SEI o quanto eu superei esse ano SOZINHA, sem pedir ajuda.

Mas estou me sentindo num quarto escuro, totalmente às cegas, gritando por socorro, e ninguém me ouve. Peço todos os dias, nas minhas orações silenciosas, para que essa força que rege todo o nosso universo não me abandone e não me deixe assim às escuras.

Acho que tá tudo misturado: essa mudança, carência, minha espiritualidade mais desenvolvida (na mesma proporção da positividade desse desenvolvimento, segue consigo uma intuição mais aguçada, um entendimento que nem todos estão preparados para ter sobre si próprios. Talvez EU MESMA não estivesse preparada para me conhecer tão a fundo)... tudo numa única torrente. de vento, que sopra areia , sol, flores e chuva, ao mesmo tempo.

Não é do meu feitio "pedir socorro" ou "gritar por ajuda". É a primeira vez que eu faço isso em pouco mais de cinco anos. Me sinto patética, mas o que eu posso fazer? Ficar só? Sem ter com quem dividir tudo isso? Preciso de colo, de uns "tabefes" na orelha, qualquer coisa. Um abraço, HOJE, me serviria de MUITA COISA.

às 02:58 , 0 Comments | {+} Link do Post