PIADAS PAGÃS SOBRE LÂMPADAS

* Quantos Gardnerianos são necessários para trocar uma lâmpada?
1) Desculpe, este é um segredo do 30° Grau.
2) (Em um tom alto e agourento) "Porque você quer saber... iniciado?"

* Quantos Wiccans Tradicionais Britânicos são necessários para mudar uma lâmpada?
13. Um para trocar a lâmpada, e 12 para lamentar a passagem da lâmpada velha.

* Quantos Thelemitas são necessários para mudar uma lâmpada?
1) 93.
2) Nenhum - Thelemitas se dão tão bem no escuro como no claro.
3) Nenhum - reais Thelemitas não têm medo do escuro. Fite-os e espere que eles falem o óbvio.

* Quantas Bruxas de Frias "Escolas de Wicca" são necessárias para mudar uma lâmpada?
"Só para você! É isso mesmo, VOCÊ! E por apenas $195, nós lhe mandaremos o nosso
"Curso do Poder Mágico das Bruxas de mudar a lâmpada" completo com conhecimento real que você possa aplicar em QUALQUER lâmpada em QUALQUER LUGAR! Escutem o testemunho de um jovem casal de Wisconsin que..."

* Quantos membros da IOT são necessários para mudar uma lâmpada?
Sinto muito, este ritual tem direitos autorais.

* Quantos Proteans são necessários para mudar uma lâmpada?
Eu não posso contar a você-- nós nunca trocamos uma lâmpada da mesma maneira duas vezes! :}

* Quantos druidas ADF são necessários para mudar uma lâmpada?
Seis. Um para trocar a lâmpada, um para escrever uma música sobre quão melhor foi
a lâmpada velha, e quatro para escrever paródias conflitantes sobre a música do segundo Druida.

* Quantos Shamans são necessários para mudar uma lâmpada?
Nenhum. É só eles se transformarem em um gato ou morcego que poderão ver no escuro.

* Quantos tântricos são necessários para mudar uma lâmpada?
2, enquanto a lâmpada permanecer na cama...


* Quantos Magistas Cerimoniais são necessários para mudar uma lâmpada?

1) Um. Eles a seguram, e o mundo gira em torno deles. (Eu conheço um destes; é verdade!)
2) Só um, mas ele terá que fazer isto na 3° Sexta feira de um mês quando a Lua estiver em Touro e for a décima quinta hora planetária... e isso *não* tem graça.

* Quantos Druidas são necessários para mudar uma lâmpada?

501. Um para trocar a lâmpada e 500 para alinhar o novo rochedo.

* Quantas Familias traditionalistas são necessárias para mudar uma lâmpada?
Luz de velas foi boa o suficiente para nossos ancestrais, é boa o suficiente para nós!

* Quantos Astrologos são necessários para mudar uma lâmpada?
"Não pergunte para mim agora, Mercúrio esta retrógrado!"

* Quantos Pagãos são necessários para mudar uma lâmpada?

Seis. Um para troca-la, e 5 para sentar em volta se lamentando que lâmpadas nunca queimaram antes desses Cristãos virem para cá.

* Quantas Bruxas são necessárias para mudar uma lâmpada?
Em o quê?

* Quantos Asatruars são necessários para mudar uma lâmpada?
R1: Nove - um para segurar a lâmpada, e oito para beber até que a sala comece a girar... (Obrigado a Ann Sheffield)
R2: Nenhum - Há luz suficiente dos moneysterios se incendiando... (Obrigado a Krei)
R3: Nenhum - As luzes das igrejas se queimando iluminam o suficiente... (Obrigado a Bjorñ)

* Quantos macumbeiros da Antiga Religião Africana são necessários para mudar uma lâmpada?
Dois - Um babalorisha (Sacerdote - Pai de Santo) para gritar que a lâmpada esta queimada e o Yawô (Noviço) para trocar...
(Obrigado a Sandra Ruy Oyakilewasy)

Q: Quantos Theosofístas são necessários para mudar uma lâmpada?
A: Nenhum. Quando eles terminarem de discutir se a lâmpada necessita ser mudada, o metodo próprio em que a lâmpada sera trocada, como isso tem sido feito historicamente, e como as outras pessoas trocam as lâmpadas,
já será dia. (Agradecimentos para o BL)
B: Nenhum. Isto foi o carma da lampada (e talvez do bulbo) de se queimar.
No tempo certo ela se substituira sozinha, talvez com um bulbo de mais alta mas nunca com uma voltagem mais baixa.

* Quantos maçons, e especialmente quanto tempo eles levam para mudar uma lâmpada?
R1: Não sei dizer... Eles ainda usam luz de velas!
R2: Nove. Um para fazer o trabalho, e os outros para fazer comentários - Sendo que um dos nove é a secretaria fazendo minutas sobre isso...
R1 e R2 - Agradecimentos ao Dutch Ross .'.
R3: Sinto muito caro Aprendiz, este é um segredo do Terceiro Grau... - R3 por Medhal
R4: Após muita pesquisa sobre esta questão complicada, esta agora pode ser respondida.
É preciso 20 maçons, como é explicado a seguir:

2 para se queixar que a luz não funciona
1 para passar o problema para qualquer um dos outros comitês, a Junta Administrativa do Templo ou o Mestre de Loja.
3 para estudar sobre a luz na Loja.
2 para investigar como os Cavaleiros de Colombo resolvem a situação.
3 para discutir sobre isso.
5 para planejar um almoço beneficente para levantar fundos para a lâmpada nova.
2 para se queixar que "não é o jeito que nós faziamos isso antigamente."
1 para pegar emprestado uma escada, doar a lâmpada e instalá-la.
1 para encomendar uma placa memorial em honra da lâmpada velha, e fazer as inscrições nela.

Signos do Zodiaco


* Quantos Aries são necessários para mudar uma lâmpada?
Um somente, mas será necessario uma boa porção de lampadas.

* Quantos Taurinos são necessários para mudar uma lâmpada?
O que, eu me mover?

* Quantos Geminianos são necessários para mudar uma lâmpada?
II

* Quantos Cancerianos são necessários para mudar uma lâmpada?
Somente um, mas ele terá que trazer sua mãe.

* Quantos Leoninos são necessários para mudar uma lâmpada?
Uma Duzia. Um para trocar a lâmpada, e onze para aplaudir.

* Quantos Virginianos são necessários para mudar uma lâmpada?

Cinco. Um para limpar o soquete, um para espanar a lâmpada, um para instalar, e dois engenheiros para checar o trabalho.

* Quantos Librianos são necessários para mudar uma lâmpada?
Librianos não conseguem decidir se a lâmpada precisa ser trocada.

* Quantos Escorpianos são necessários para mudar uma lâmpada?
Nenhum. Eles GOSTAM do escuro.

* Quantos Sagitarianos são necessários para mudar uma lâmpada?
Um para instalar a lâmpada, e um Virginiano para catar os pedaços.

* Quantos Capricornianoss são necessários para mudar uma lâmpada?
A luz esta boa como ela é.

* Quantos Aquarianos são necessários para mudar uma lâmpada?
Você ja perguntou a lâmpada se ela QUER ser mudada?

* Quantos Piscianos são necessários para mudar uma lâmpada?
Que lâmpada?

segunda-feira às 13:18 , 0 Comments | {+} Link do Post

A RAINHA, AS VISITAS DE FORA... E OS ÍNDIOS

Hoje chega a ser difícil começar esse post. Foi uma enxurrada muito forte de informações. É até redundante o termo, mas é para mostrar o tamanho da força. Os rituais dos quais eu participo são ecumênicos. Não seguimos religião do Santo Daime, nem nada parecido. Temos um conjunto gigantesco de egrégoras e todas elas juntas nos protegem e nos auxiliam nessa busca.

Ontem em conversa com o meu amado, lembrei-me de algo muito importante sobre minha participação nesses rituais. Não é uma necessidade. É uma vontade, um gosto, uma alegria em gozar desses momentos. É o prazer de ver coisas que eu não vejo e sentir coisas que eu não sinto no meu dia-a-dia, nem quando eu estou meditando.

Hoje tivemos participações mais do que especiais no nosso trabalho, e a força pra mim veio de uma maneira quase que inexplicável, espetacular, praticamente improvável. Hoje, final de novembro, eu completo dois anos de ayahuasca na minha vida, uma bênção. É um caminho do qual sempre tive muito receio, restrições, mas que depois que me posicionei nele, não tenho mais vontade de sair. Não é um vício. É um enorme, enorme prazer estar nesse caminho, percorrê-lo, guiar outras pessoas e abrir algumas portas para que eu e outros seres as atravessemos.

A RAINHA

Minha força chegou meio tarde, só depois dos hinos mesmo. Quero depois postar uma letra de um deles, chamada GUERREIROS DA PAZ; a energia desse hino é extremamente forte e poderosa. ILUMINA é outra música que já me coloca em sintonia com essa freqüência tão gostosa.

Minha primeira visão me deixou com raiva da minha pessoa. Me senti tempo todo “COROADA”, premiada, não sei explicar. É como se eu fosse uma rainha, uma pessoa de sabedoria, liderança, perspicácia. Uma decisora. Eu gosto de liderança, mas sempre quero ficar nas “sombras” em relação a esse assunto. E essa miração me pediu para soltar meu lado de liderança. Para não ter vergonha de ser quem eu sou. Eu era uma rainha em tons corais, com cabelos muito longos, unhas compridas, olhos um pouco mais puxados, mas era eu. Me senti sentada em um trono e ouvia vozes falando sobre liderança, sabedoria e prêmios pelos meus esforços. Compensação. Recompensa. Frutos colhidos pelo meu esforço. Isso me deixou um pouco mais aliviada. A mentora apareceu e pediu para eu “me segurar”, porque estava vindo um chumbo grosso pro meu lado em relação a tudo isso.

Parte da miração acontecia em um palácio dourado, e as luzes amareladas cobriam meu semblante calmo, quase passivo, esperando toda essa luz penetrar na alma. E me senti potente, capaz. Segura. A todo o momento, eu sentia alguém colocando uma espécie de coroa na minha cabeça. E a cada coroação, por assim dizer, me sentia mais livre de pesos que me incomodam na vida.

AS VISITAS DE FORA

Para quem acredita, quem bom. Para quem não acredita, aí vai o momento loucura do trabalho: eu estava sentada, e senti, ouvi, pessoas andando pelo salão. MUITAS PESSOAS. Translúcidas, sem muita expressão, mas que percorriam o salão dando passe nos demais. Eu senti dois passes aplicados em mim. De repente, a irmã que estava mesmo aplicando me perguntou se eu queria receber um também. Fiquei confusa, achei que já tinha recebido dois passes.Vieram de outro planeta. Não eram da Terra. Não eram espíritos daqui. Eram de muito longe, isso foi possível sentir. Trouxeram uma freqüência de energia inexplicável, que tomou conta de todos.

OS ÍNDIOS

Isso foi o mais incrível. Eu mal saí de um encontro emocionante com Raoni, e entro em um trabalho no qual os índios vieram fortes, em peso, levantando a poeira, agitando todo mundo. Maracá forte. Cura espiritual forte. Mais um pedacinho do perdão que levaram (amém). Aos poucos, meu fardo está diminuindo e minha mãe está cada vez mais feliz comigo. Minha mãe sempre foi muito ligada com índio. Eu também. Sempre me fascinou o xamanismo. E os xamãs, pajés me deixam deslumbrada pelo poder e sabedoria. Eremitas das florestas. De repente, eu estava cantando as músicas, alto, forte. Nem sei se alguém abriu os olhos pra ver. Mas eu me senti mais próxima deles do que nunca. Quero ser sábia como eles. Nunca conseguirei, mas eu vou tentar até o fim dos tempos.


Eu e o cacique Raoni, mais o Léo. Momento único.

Meu totem de poder apareceu de novo. Minha querida coruja. Sentir a maciez das penas, o olhar concentrado dela, suas enormes asas, é uma sensação indescritível. Só participando pra entender o que a gente passa lá dentro, os processos, as curas, os espíritos, as bênçãos! No momento dos índios, o calor estava quase que insuportável dentro do salão. Mas eles trouxeram consigo uma brisa gostosa, que acalmou todos os ânimos.

Completo dois anos de ayahuasca com felicidade plena. Nunca passei mal, nunca fiz limpeza, nunca tive mirações ruins. Como dizem, a bebida é para todos, mas nem todos são para a bebida. Me sinto honrada e privilegiada em descobrir no dia de hoje, que eu sou um dos agraciados por pertencer a essa ordem de espiritualidade, força, harmonia, carinho e graças.

[LETRAS]

ILUMINA
Ó, grandioso Sol... Sol Central 2x
Ilumina, ilumina, ilumina, ilumina

Ó grandiosa Lua no Céu 2x
Ilumina, ilumina, ilumina, ilumina

Ó grandiosa Estrela no Céu 2x
Ilumina, ilumina, ilumina, ilumina

Ó grandiosa Rainha da Floresta 2x
Ilumina, ilumina, ilumina, ilumina


GUERREIROS DA PAZ

domingo às 02:36 , 3 Comments | {+} Link do Post

NOVOS RITUAIS EM SHEKINAH

Infelizmente o tempo anda bastante escasso para postar no blog, mas garanto aos meus leitores que a espiritualidade e a disciplina andam em dia. Foram muitos meses sem os rituais de Shekinah, por conta de uma série de reformulações que aconteceram no modelo do ritual, um descanso e retiro merecido por parte de nossa madrinha e muitas novidades que entraram em curso.

É difícil descrever todas as sensações e mirações dos últimos rituais que participei, mas acredito que tentar não me fará mal algum.

[PRIMEIRO ENCONTRO]

Voltar a Shekinah sem ser na Chácara do Yuri continua me soando diferente demais, mas o propósito dos novos rituais é mesmo sair do lugar comum e nos levar a viagens espirituais cada vez mais profundas. Nada melhor do que um clima bem mais intimista para concentração de energias.

A roda ficou mais intimista, mais séria, voltada à mesa branca no primeiro encontro. As energias foram muito intensas. E eu tive uma grata surpresa, que me permitiu mais um pedacinho de perdão àqueles que me magoaram profundamente com a perda da minha querida mãe. Um dos novos irmãos trouxe à tona o Semanário, uma espécie de guia de orações utilizado em um centro espírita. Era uma das tradições da minha família, enquanto minha mãe foi viva, de colocá-lo em prática diariamente. Tanto é verdade que um dos salmos sugeridos, o 91, é o meu favorito e o tenho decorado na ponta da língua.

Após a oração inicial, nos sentamos em forma de estrela, com alguns irmãos fornecendo sustentação para o trabalho (eu fui honrosamente selecionada para tanto). Minha mentora, como sempre muito atenta, veio ao meu encontro e disse bem claramente: “Foi preciso isso (o Semanário) chegar até você por aqui para você perdoar?”

Num momento de puro egoísmo, me deixei tomar pela saudade imensa que tenho da minha mentora em vida, e simplesmente foi disso que vivi durante esse trabalho. Pedi muito perdão pelo meu egoísmo, briguei com minha mentora, fui extremamente infantil, mas o colo de uma mãe, não importa a idade que tenhamos, é essencial na nossa vida em certos momentos. E não ter isso dói muito.

[O SEGUNDO ENCONTRO]

Já no nosso segundo encontro, eu tive uma experiência incrível de comunicação espiritual. Jamais me comuniquei com alguém além da minha mentora. Mas desde o início dos trabalhos, eu vi um índio com um cocar azul, muito velho e zangado. Ele ficou me encarando durante um bom tempo até começar a pedir a mim para limpar o lugar, curar as pessoas. Ele parecia um rádio AM ligado dentro do meu cérebro, e não parava de me pedir isso. Aquilo começou a me tragar para dentro de um buraco e eu comecei a sentir uma enorme tontura. Depois de conversar com a minha madrinha do trabalho, pedi permissão a ela para que os índios retomassem a freqüência de energia do lugar. E foi o que aconteceu. Quando eles finalmente puderam firmar presença, o salão foi completamente tomado por uma luz verde linda. Essa luz piscava e se concentrava na parte central, em especial na mesa. As flores ficaram verdes, as mãos ficaram verdes. Todo um processo de cura havia se iniciado, que deixou o clima bem menos denso. Foi muito lindo.



[DESENVOLVIMENTO DE MEDIUNIDADE]

A experiência de ouvir vozes e ver espíritos dessa vez me deixou um pouco assustada e chocada, mas não poderia ter sido melhor. Acredito que toda a teoria que estudei e a presença forte da minha mentora espiritual me deu a direção certa para as atitudes certas durante todo o processo. Preciso apenas aprender a controlar o meu físico para não “passar mal” em meio a esse processo. E fiquei feliz por ser útil uma vez em relação a isso.

Sempre fui uma pessoa com sensitividade maior. Sempre tive pressentimentos sobre as coisas que estavam prestes a acontecer, visões através de sonhos, etc. Mas nunca me passou pela cabeça ter uma experiência como a que tive nesse último ritual. Espero contribuir mais vezes e me preparar melhor para receber tais mensagens.

quinta-feira às 11:53 , 0 Comments | {+} Link do Post